Dor no punho: 5 causas e como tratar

Seja por conta de atividades repetitivas, acidentes ou condições crônicas, a dor no punho pode afetar qualquer pessoa em algum momento da vida.

Essa dor pode variar de intensidade e ser extremamente incapacitante, prejudicando a realização de tarefas simples do dia a dia.

As causas da dor no punho podem ser diversas e podem exigir diferentes abordagens de tratamento. 

Neste artigo, abordaremos as cinco causas mais comuns de dor no pulso e as opções de tratamento disponíveis para aliviar o desconforto e melhorar a qualidade de vida. Boa leitura!

O que pode causar dor no punho?

A dor no punho pode ser causada por uma variedade de fatores, confira os principais a seguir: 

1. Entorse

Popularmente conhecida como  torcido, a entorse no punho é uma lesão comum, na qual ocorre o estiramento ou ruptura dos ligamentos que conectam os ossos do punho.

Normalmente acontece quando o punho é curvado com força, como em uma queda sobre a mão estendida ou na prática de atividades físicas de alto impacto.

Os sintomas mais comuns de uma entorse no punho incluem: dor moderada a intensa no momento do trauma, inchaço, hipersensibilidade e calor na região e dificuldade em mover o punho. 

O diagnóstico começa com uma avaliação médica, na qual verifica-se a presença de pontos de dor e a redução na  amplitude do movimento. Exames de imagem como radiografia e ressonância magnética podem ser solicitados para um diagnóstico mais preciso e completo.

2. Tendinite

Esta condição é caracterizada pela inflamação dos tendões que circundam uma articulação, neste caso, a do punho.

O atrito frequente causado pelo uso excessivo da articulação, provoca irritação e inflamação dos tendões.

Desse modo, é mais comum em pessoas que realizem atividades que exigem movimentos repetitivos com o punho, como atletas, músicos, trabalhadores manuais e pessoas que digitam por longos períodos de tempo.

Além da dor no pulso, os sintomas da tendinite incluem rigidez, inchaço, sensibilidade, calor e vermelhidão, fraqueza muscular e desconforto que piora com o movimento.

O diagnóstico é feito procurando os sinais característicos da condição através da avaliação clínica e de exames complementares, como ultrassom e ressonância magnética, que ajudam a confirmar o diagnóstico.

3. DORT (Doença Ocupacional Relacionada ao Trabalho)

DORT, antigamente conhecida como LER, é uma síndrome que engloba um grupo de doenças que afetam as partes moles do sistema musculoesquelético, como músculos, nervos, tendões, ossos e articulações.

Como o próprio nome já diz, a DORT é causada pelo desempenho de atividades repetitivas ou que exijam muita força na sua execução, postura inadequada e também por estresse. 

Alguns exemplos incluem digitar intensamente por longos períodos, realizar trabalhos manuais como tricô ou crochê e outras atividades que exigem movimentos repetitivos.

Os principais sintomas da DORT incluem intensa dor no punho, sensibilidade ao toque, sensação de queimação, formigamento nas extremidades, inflamação, inchaço local e fadiga muscular.

Para diagnosticar a DORT, o médico realiza um exame clínico detalhado, levando em conta o histórico do paciente, incluindo esportes praticados, ambiente de trabalho, hábitos comportamentais e estilo de vida. 

O objetivo é identificar atividades ou movimentos repetitivos que possam estar causando a lesão. 

Em alguns casos, podem ser necessários realizar exames de imagem, como radiografias ou ressonância magnética, para avaliar o tecido mole do sistema musculoesquelético e confirmar o diagnóstico.

4. Síndrome do Túnel do Carpo

Esse quadro afeta o nervo mediano que é responsável pela inervação da região localizada entre a mão e o punho.

Essa síndrome ocorre quando o nervo é comprimido ou pressionado, provocando dor no pulso e parestesia (formigamento e perda da sensibilidade) na região. Além disso, é comum que os sintomas piorem durante à noite.

A síndrome do túnel do carpo pode ser causada por movimentos repetitivos, mas também pode ser decorrente de doenças e condições como a obesidade, gravidez, diabetes, artrite reumatóide, entre outros.

Se não tratada, pode levar a alterações motoras, como fraqueza para movimentar os dedos e até atrofia, em casos mais graves.

Geralmente é diagnosticada através do exame clínico realizado por um especialista em mão, que avalia os sintomas e a sensibilidade na região. 

No entanto, podem ser solicitados exames complementares, como a ultrassonografia ou a eletroneuromiografia, que permitem avaliar a condução nervosa e identificar possíveis lesões nos nervos do punho.

5. Doença de Kienbock

A dor no punho  também pode ser causada pela Doença de Kienbock, uma condição relativamente rara que afeta um osso chamado semilunar, localizado na base da mão.

Ela ocorre quando há uma diminuição do fluxo sanguíneo para esse osso, o que pode levar a sua necrose . Essa condição também é conhecida como necrose avascular do semilunar.

Sua causa é desconhecida, mas ocorre com maior frequência na mão dominante de homens entre os 20 e 45 anos, geralmente em trabalhadores com trabalho manual pesado.

Dor no punho localizada na região do osso semilunar, edema leve, perda de força e diminuição da mobilidade são alguns dos sintomas dessa doença. Com o passar do tempo, a tendência é que o pulso fique cada vez mais rígido e doloroso.

O diagnóstico é feito com base nos sintomas e em exames de imagem, como radiografias,  ressonância magnética e cintilografia óssea.

Como saber se o punho está inflamado?

A inflamação no pulso pode ser causada por várias condições e seus sintomas podem variar de acordo. Com a patologia apresentada, entretanto, alguns sinais mais comuns incluem:

  • Dificuldade em realizar atividades básicas, como escrever, digitar e segurar objetos;
  • Dor aguda ou latejante, que pode piorar com o movimento;
  • Vermelhidão e queimação;
  • Inchaço;
  • Fraqueza;
  • Dormência ou formigamento;
  • Sensibilidade;
  • Hematomas, em caso de traumas .

Como aliviar a dor no punho?

A dor no punho pode ser aliviada com algumas medidas simples, a depender do diagnóstico.

Em primeiro lugar é importante descansar o punho afetado e evitar exercitá-lo enquanto estiver inflamado, para permitir que os tecidos se recuperem.

Além disso, evitar sobrecarregar o punho e aplicar compressas de gelo nos casos agudos, na região dolorosa. 

Assim que a dor e a inflamação diminuírem, é importante começar a exercitar o punho para mantê-lo forte e flexível.

Como tratar a dor no punho?

A dor no punho pode ser tratada de diversas formas, dependendo da causa subjacente e da sua gravidade. É importante ressaltar que a dor no punho tem cura e o tratamento adequado pode trazer bons resultados.

Em alguns casos, a imobilização do pulso com uma tala ou órtese pode ajudar a diminuir a inflamação e permitir que o tendão descanse. 

Além disso, repouso e analgésicos podem ser indicados para controlar a dor. Anti-inflamatórios e infiltrações locais também podem ser utilizados para tratar a dor e inflamação.

Em casos mais graves, a cirurgia pode ser necessária para corrigir a lesão ou aliviar a pressão sobre o nervo.

A fisioterapia é um dos recursos mais utilizados para o tratamento das lesões no punho. Seu objetivo é restaurar a função dos tendões envolvidos para aliviar a dor, através de exercícios específicos e outras técnicas, como massagens e terapias manuais.

É importante lembrar que o tratamento adequado deve ser realizado por um médico ortopedista especializado em mão. O diagnóstico preciso e a escolha do tratamento mais adequado são fundamentais para o sucesso do tratamento e para evitar complicações.

Fonte: NOT Ortopedia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eu Aceito a Política de Privacidade