Dor no pulso: O que pode ser a causa?

A dor no pulso ou no punho é um problema que pode levar, mesmo que momentaneamente, a uma dificuldade de usar as mãos. Essa dor pode ser resultado de uma lesão traumática, capaz de interferir nas tarefas do dia a dia, pausar nossa rotina de trabalho e até gerar problemas psicológicos. Saiba quais são as principais causas do sintoma e veja como é possível contornar a situação.

Dor no pulso: o que pode ser?

A tendinite é uma das maiores causas de dores nos punhos, o que se deve principalmente ao esforço repetitivo. Atualmente, um dos fatores que mais contribuem para o surgimento da tendinite é o uso excessivo dos aparelhos eletrônicos como o celular. As horas seguidas nos aplicativos de conversas e de jogos, por exemplo, forçam os músculos e ossos. Neste caso, a melhor forma de evitar a dor no pulso é fazer alongamento com a mão durante o uso do aparelho e, claro, estabelecer intervalos para descontrair a musculação.

Como se desenvolve a dor no pulso no campo esportivo?

No setor esportivo, a maior incidência de lesões de punho e de mão são ocasionadas por traumas de diferentes níveis quando a força utilizada extrapola a capacidade de absorção dos tecidos musculoesqueléticos. Assim, a maior incidência da dor na região acontece por causa das quedas bruscas, visto que muitas pessoas utilizam as mãos para amenizar o impacto durante um exercício.

Segundo um estudo realizado com lutadores de jiu-jítsu, cerca de 85% dos atletas sofrem com vários tipos de lesões, como fraturas no punho. Embora o jiu-jítsu não possua golpes traumáticos como socos ou chutes, e sim, se baseie na imobilização do adversário para derrubar ou neutralizar o adversário, impactos malsucedidos levam a lesões na região e, consequentemente, ao afastamento dos treinos.

Como a fisioterapia age a favor do paciente?

A fisioterapia é um dos recursos mais utilizados para o tratamento das lesões no pulso, principalmente quando o problema torna-se maior do que o esperado. O objetivo é justamente restaurar os órgãos debilitados.

A dor no pulso esquerdo não difere da dor no pulso direito e o especialista saberá lidar com a fratura em ambos os lados, conforme a intensidade. O tratamento inicial para controlar o edema é feito com imersão fria, aplicação de Tens (Estimulação Elétrica Transcutânea Nervos – os famosos choques) e laser.

Depois deste processo, é possível recorrer a alongamentos, à mobilização da mão para o controle do sofrimento e ao uso de ultrassom. Exercícios terapêuticos e de reeducação sensorial também visam o restabelecimento da mobilidade funcional ativa do paciente. Vale ressaltar que todo o tratamento deve ser acompanhado por um especialista.

Fonte: Dorflex

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

I accept the Privacy Policy