Novembro Azul: criando barreiras contra o câncer de próstata

Novembro Azul é o nome do movimento que busca a conscientização a respeito do câncer de próstata e as principais doenças que acometem os homens. Além disso, a campanha visa quebrar o preconceito em relação ao exame de toque.

Em meados de 2003, a Movember Foundation, movimento originado na Austrália, espalhou pelo mundo uma campanha cuja mensagem principal era um alerta aos preconceitos e tabus que ocasionam riscos à saúde do homem.

No Brasil, o movimento começou em 2008, trazido pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, juntamente com a Sociedade Brasileira de Urologia – SBU. O projeto promove atividades durante todo o mês de novembro, levando debates, palestras e ações ao público masculino. Algumas clínicas também oferecem exames de próstata gratuitos.

Ainda que a resposta seja óbvia quando perguntam o que é novembro azul, e muitos saberem o quão maligna a enfermidade é, poucos tomam a atitude de procurar ajuda médica para tratar ou prevenir a doença.

Aproveitando a chegada do laço do novembro azul, que caracteriza a campanha de conscientização a respeito do câncer de próstata, o Centro Médico Matsumoto preparou um conteúdo completo para você entender sobre a importância da prevenção e diagnóstico de uma das doenças que mais afeta a saúde dos homens por todo o mundo. Boa leitura!

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino localizada abaixo da bexiga. Seu tamanho é pequeno, parecido com uma azeitona, e se desenvolve durante a puberdade, quando a produção de testosterona é potencializada.

Sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

As doenças, infecções e o câncer na região podem aparecer independentemente da fase da vida que a pessoa está, mas costuma ser mais frequente após os 40 anos de idade.

Câncer de próstata: prevenção, diagnóstico e tratamento

A principal causa do câncer de próstata consiste na transformação e multiplicação desordenada das células que se fazem presentes na glândula. 

A proliferação de modo anormal destas células permite que elas consigam desenvolver a capacidade de invadir a glândula prostática, originando o denominado tumor. 

Existem casos em que essas células conseguem ultrapassar os tecidos do aparelho reprodutor masculino, espalhando tumores pelos demais órgãos do corpo humano. 

No início, os sintomas do câncer de próstata podem não ser aparentes. Quando os sinais aparecem, significa que o problema está em fase avançada, o que dificulta a cura e o tratamento. 

Alguns dos sintomas são dores ósseas, problemas para urinar, sangramento na urina ou no sêmen, vontade de urinar com frequência, entre outros.

Entretanto, o grande perigo está no fato deste câncer conseguir permanecer silencioso, ou melhor, assintomático por muitos anos.

Prevenção

O câncer na próstata é o tipo mais comum de câncer entre os homens, e existem formas comprovadas de prevenção dessa doença. Sendo que manter um hábito de vida saudável é um dos fatores decisivos nessa etapa.

Entre os fatores de risco, estão relacionados o histórico familiar de câncer de próstata em parentes de primeiro grau, além da obesidade e a má alimentação.

Por isso, ter uma alimentação saudável e praticar atividade física, a fim de evitar a obesidade são duas das principais atividades. Além disso, evitar o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas também previne o surgimento do câncer de próstata.

Na ausência de sintomas, todo homem a partir dos 45 anos precisa fazer exames periódicos, indo regularmente ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal que permite avaliar alterações da glândula, como endurecimento e a presença de nódulos suspeitos. 

Entretanto, existe um preconceito e receio inconsciente com esse exame. O preconceito do toque em consultas médicas é frequente entre os homens, e impacta diretamente a experiência deles em consultas médicas. O que pode levar a problemas mais graves, não só relacionados ao câncer de próstata.

É alarmante analisarmos que cerca de 20% dos pacientes que possuem o problema são diagnosticados somente por alterações notadas com o toque retal, mas 87% da população masculina brasileira tem se deixado influenciar pelo pensamento de que homens não precisam realizar check ups e ir ao médico ou hospital. 

Por isso, inclusive, 95% dos casos de câncer de próstata diagnosticados já se encontram em um estágio avançado, o que dificulta muito as possibilidades de cura. E a consequência disso é a morte de mais de 13,5% da população masculina diagnosticada.

Ou seja, a principal ação para prevenir o câncer de próstata é uma mudança de atitude por parte dos pacientes em relação aos hábitos de vida e à realização de exames preventivos e check ups anuais.

É importante não se deixar influenciar por preconceitos e pensamentos retrógrados. Se você já completou 40 anos de idade, é preferível a realização de exames anuais, já que esta faixa etária se encontra mais suscetível ao câncer.

O público mais jovem não deve se deixar iludir pela juventude. Fatores biológicos não podem ser controlados nem pela idade nem pela vontade. Mantenha sempre em mente que a prevenção precoce do câncer de próstata é a melhor alternativa para um tratamento de sucesso.

Exames de Diagnóstico

Existem vários tipos de exame de próstata que fazem o diagnóstico do câncer. E quando aliados ao diagnóstico precoce, são a melhor forma de garantir sucesso na cura contra o câncer. São eles:

Ecografia da Próstata

Também conhecido como ultrassonografia transretal ou toque retal, o procedimento do toque retal envolve a palpação da próstata pelo reto, onde o médico urologista insere o dedo indicador, devidamente lubrificado e protegido por luva de látex. 

O objetivo é identificar o tamanho em que a glândula se encontra e avaliar qualquer tipo de mutação em sua estrutura. Em casos de próstata aumentada, o seu urologista provavelmente irá recomendar outros exames para continuar o diagnóstico do câncer de próstata.

É o exame mais conhecido pela população, sendo um dos principais motivos dos preconceitos e receios com o diagnóstico do câncer de próstata.

Entretanto, o exame é indolor, rápido e a forma mais eficiente de diagnosticar o câncer de próstata. Ele é indicado de acordo com os resultados dos outros exames, dando ainda mais importância para consultas regulares ao médico.

Antígeno Prostático Específico

Também conhecido como PSA, é uma enzima que funciona como um marcador de tumor para diagnosticar e controlar o câncer de próstata.

A análise do PSA deve ser feita por meio de uma coleta de sangue. Os resultados podem indicar não só o câncer de próstata, como também outras infecções e doenças na região. 

Vale lembrar que a quantidade dessa enzima no sangue pode aumentar de acordo com a idade, sendo naturalmente maior em pessoas mais velhas. O que torna o diagnóstico apenas por coleta de sangue menos efetivo nesse perfil de paciente.

Exame de urina laboratorial

Um outro tipo de exame para diagnosticar o câncer de próstata é o de urina, conhecido como teste de PCA3. 

Esse teste analisa a presença do antígeno prostático 3, sendo uma opção eficiente no diagnóstico e identificação do câncer de próstata. Isso porque ele verifica com precisão se há ou não presença do tumor maligno na região.

Além disso, ele também identifica em qual estágio o câncer de próstata se encontra.

Tratamento

Após o diagnóstico positivo para o câncer de próstata, o paciente pode passar por diversos tratamentos da Oncologia, ciência especializada no tratamento de tumores e câncer. 

Para que essa ciência funcione da melhor forma possível, é necessária uma equipe de diversas áreas internas da oncologia, já que o paciente pode desenvolver outras doenças e efeitos colaterais. 

Os trabalhos são feitos em conjunto, envolvendo áreas clínicas, cirúrgicas e radiológicas, que trabalham com os seguintes procedimentos para tratar o câncer de próstata:

Cirurgia oncológica

A opção pela cirurgia para curar o câncer de próstata é a mais eficiente entre os outros tratamentos. No procedimento, toda a glândula da próstata é retirada pelo abdômen, junto de outros tecidos à sua volta.

Radioterapia

Indicada para câncer de próstata em estágios leves, o uso da radioterapia como tratamento da doença pode trazer resultados similares aos de uma cirurgia de remoção da glândula, desde que seja feito de forma eficaz e com equipamentos modernos.

Medicina nuclear

O uso de equipamentos da medicina nuclear não tem impacto direto no tumor do câncer de próstata, mas é eficiente para identificar regiões de foco e auxiliar na escolha dos medicamentos a serem utilizados no tratamento.

É interessante, também, para identificar possíveis sequelas e outras regiões do corpo afetadas pelo tumor. 

A escolha do tratamento contra o câncer de próstata depende muito do contexto, além da vontade do paciente. Entretanto, é recomendado seguir a recomendação médica após o diagnóstico.

Fonte: Centro Médico Matsumoto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eu Aceito a Política de Privacidade