Incontinência urinária em idosos é comum, mas não normal

Embora possa acontecer em qualquer fase da vida, a incontinência urinária é mais comum na terceira idade. O problema, que causa vazamentos acidentais de urina, afeta de 30% a 60% das pessoas com mais de 60 anos. Apesar de trazer grandes prejuízos para a qualidade de vida, a incontinência urinária em idosos é, na maioria das vezes, sofrida em silêncio – seja pela vergonha de falar do assunto ou pela crença equivocada de que essa é uma parte normal do envelhecimento e nada pode ser feito.

Mas, na maioria dos casos pode, sim, ser tratada. Por isso, se o problema está acontecendo com você, não deixe de procurar ajuda médica. O receio de não conseguir chegar ao banheiro a tempo e passar por situações embaraçosas pode impedi-lo de desfrutar de atividades comuns, como encontrar os amigos para bater papo e caminhar no parque. Não é à toa que isolamento social, sentimentos de baixa autoestima, ansiedade e depressão estão entre as consequências da incontinência urinária em idosos.

A incontinência urinária em idosos pode ter uma série de causas. Mas não há dúvidas de que as mudanças no corpo que acontecem com a idade favorecem o problema. Por exemplo:

  • Enfraquecimento dos músculos da bexiga;
  • Menor capacidade da bexiga, o que aumenta a frequência do xixi;
  • Diminuição da visão e da capacidade de se movimentar rapidamente, que dificultam a ida ao banheiro a tempo;
  • Enfraquecimento dos músculos pélvicos, no caso das mulheres;
  • Aumento da próstata nos homens.

Além disso, alguns medicamentos e determinadas doenças também podem contribuir para a incontinência urinária em idosos.

A escolha do tratamento para a incontinência urinária deve ser discutida com o médico, que avaliará seu caso particular.

Fonte: Grupo Notre Dame Intermédica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *