Quinta, 02 Novembro 2017 07:45

Lesões do Manguito Rotador

Lesões do Manguito Rotador

 

 

 

      O manguito rotador é composto basicamente de 4 tendões: o supra-espinhal, o infra-espinhal, o subescapular e o redondo menor. Não fazendo parte classicamente do manguito rotador mas em íntima relação estão os tendões do redondo maior e do tendão longo do biceps. As lesões do manguito rotador são uma frequente causa de dor e incapacidade no ombro.

 

      Cerca de 30% das pessoas acima dos 65 anos apresentam a lesão, sendo que metade destas nunca manifestam sintomas. Não se sabe ao certo o que origina a lesão, existindo diversas teorias dentre as quais estão o envelhecimento, atividades com o braço elevado acima da cabeça repetitivamente, alterações anatômicas, comorbidades associadas como por exemplo o diabetes, dentre outras. As lesões do manguito rotador podem afetar qualquer um de seus tendões, sendo o mais frequente o supra-espinhal. Elas se apresentam resumidamente em 2 maneiras: Lesões parciais e lesões completas. O diagnóstico da lesão é feito pelo exame físico associado a exames de imagem, sendo o mais sensível e específico a ressonância magnética.

 
 
 
 

A. Lesões Parciais do Manguito Rotador

      A lesão é dita parcial quando não atinge toda a espessura do tendão. Desta forma, ela pode se localizar no meio do tendão, sendo chamada de lesão intersticial (a), se localizar na face superior, junto a bursa e chamada de lesão parcial bursal (b) ou junto a articulação sendo chamada de lesão parcial articular (c).

 
 

Tratamento das Lesões Parciais

      As lesões parciais do manguito rotador devem ser tratadas inicialmente com tratamento conservador, sendo os métodos mais utilizados a fisioterapia e uso de medicação antiinflamatória e analgésica. Este tratamento deve ser tentando por período mínimo de 6 semanas. Caso não haja melhora com o tratamento conservador, o tratamento cirúrgico é indicado. Feito rotineiramente de forma artroscópica ele pode variar desde uma simples limpeza do tendão, com retirada do tecido doente deixando o tecido saudável remanescente para que haja cicatrização, nos casos mais brandos, até uma retirada de todo o tendão doente e posterior sutura da lesão gerada nos casos mais graves, onde mais de 50% da espessura do tendão está afetada.

 
 

Recuperação após cirurgia

      Após a cirurgia é indicado o uso de tipóia por período de 4 a 6 semanas. No pós-operatório já é iniciado a fisioterapia, visando uma reabilitação precoce. O tempo médio para retorno completo as atividades é de 3 a 4 meses a partir da data da cirurgia.

 

 

B. Lesões Completas do Manguito Rotador

 

      A lesão do manguito rotador é chamada de completa quando atinge toda a espessura do tendão, ou seja, quando o tendão se rompe completamente, não deixando nenhuma fibra remanescente. Em cerca de metade dos casos a lesão degenerativa do manguito rotador não causa nenhum sintoma sendo que muitos pacientes convivem com ela por toda a vida sem sentir dor ou ter alguma incapacidade. Na outra metade dos pacientes a lesão em algum momento se torna sintomática, levando a dor e a perda de força.

      O tamanho da lesão é fator importante na decisão do tratamento sendo consideradas lesões pequenas quando menores que 1 cm e lesões grandes quando maiores que 3cm. A lesão do manguito tem caráter evolutivo na maioria dos casos, sendo que uma vez que se torna sintomática ela tende ao crescimento com o passar do tempo, levando ainda a uma atrofia da musculatura acometida. O aumento da lesão e a atrofia do músculo envolvido são fatores que prejudicam a recuperação e podem inclusive levar a impossibilidade do tratamento cirúrgico, quando em estágio avançado.

 
 

 

Tratamento das Lesões Completas

As lesões completas pequenas, menores que 1cm, pouco sintomáticas e sem deficit funcional podem ser tratadas inicialmente de forma conservadora com fisioterapia e medicação analgésica. Se apresentarem boa melhora clínica após tratamento adequado por volta de 6 semanas, podem ser acompanhadas regularmente quanto a sua evolução sendo que em alguns casos se tornam assintomáticas, dispensando o tratamento cirúrgico. Já as lesões completas maiores que 1 cm, as lesões traumáticas e lesões que atingem mais de 1 tendão são classicamente tratadas de forma cirúrgica.

 O tratamento cirúrgico das lesões do manguito rotador é feito por artroscopia, técnica minimamente invasiva, com o uso de câmera e pequenas incisões pelas quais são introduzidos os instrumentais. A técnica minimamente invasiva possibilita melhor avaliação das estruturas intra e extra-articulares assim como uma reabilitação precoce. O procedimento é feito sob anestesia geral associada ao bloqueio de plexo-braquial na grande maioria dos casos, durando em média de 1hr a 1:30hr.

 

Recuperação após cirurgia

 

Após o procedimento é necessário que o braço fique imobilizado por um período de 6 semanas, sendo feito uso de tipóia com ou sem o uso de apoio para manter o braço em abdução. A reabilitação com fisioterapia pode ser iniciada precocemente, logo na primeira semana de pós-operatório ou ser retardada até a sexta semana, variando de caso a caso de acordo com a gravidade da lesão e a qualidade do reparo obtido na cirurgia. Em média o prazo de reabilitação para retorno completo as atividades se dá em torno de 4 meses de pós-operatório.

 
 

 

 
 

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.